Como aumentar a taxa de conversão em 8 dicas

Picture of Rita Valejo
Rita Valejo

SHARE THIS

A conversão é a base do Marketing Digital. Afinal, todo o esforço e investimento para atrair visitantes a um website ou a uma landing page tem como objetivo final transformá-los em clientes ou levá-los a executar uma ação específica, seja ela preencher um formulário, fazer download de um material ou qualquer outra ação relevante para o objetivo do negócio. É aqui que surge o conceito de Conversion Rate Optimization (CRO).

O CRO é uma abordagem que consiste em otimizar os elementos de um website e a jornada do utilizador. O objetivo é aumentar a taxa de conversão, garantindo que um maior número de visitas, se traduz em vendas e que não perdemos oportunidades valiosas devido a falhas de otimização da experiência do utilizador (UX) na página de destino.

O utilizador demora apenas 0.05 segundos a formar a sua primeira impressão sobre um website, por isso, é crucial assegurar que esta é positiva.

Como não temos uma segunda oportunidade para criar uma boa primeira impressão, deixamos as nossas estratégias para melhorar a UX e aumentar a taxa de conversão do teu site.

Como aumentar a taxa de conversão passo a passo

1. Simplificar a experiência do utilizador

Um dos aspetos mais importantes da otimização é simplificar a experiência do utilizador, fazendo com que este encontre mais facilmente o que procura e, consequentemente, concretize a ação desejada.

Tornar a sua jornada mais fácil diminui a taxa de abandono da página, aumentando o engagement e a conversão.

Menos é mais. Eliminar elementos que possam causar insegurança no utilizador, como passos desnecessários, distrações ou pontos de fuga que o possam impedir ou desviar da ação idealizada – como é o caso de demasiados call-to-action (CTAs), pop-ups ou links para outras páginas

#EfeitoAdclick: após o pico da pandemia, a Bluwalk recorreu à nossa ajuda para recrutar mais motoristas e estafetas de forma a dar resposta às necessidades de um mercado que voltava aos poucos à normalidade. Após uma análise inicial do website, chegámos à conclusão que este era pouco apelativo, a customer journey demasiado confusa e o processo de sign up pouco intuitivo. Depois de tornar esta área mais simples e otimizada para a conversão, inserida numa estratégia 360º, conseguimos reduzir em 50% o custo de aquisição de novas leads e melhorar o posicionamento da marca em keywords importantes, com destaque a nível de impression share e top of page comparativamente aos concorrentes.

2. Melhorar a velocidade do website

A velocidade de um website é outro fator muito importante no processo de otimização. 53% das visitas tendem a abandonar uma página se esta levar mais de 3 segundos a carregar. Um website rápido ajuda a reduzir a bounce rate e a melhorar o engagement, favorecendo em simultâneo a sua classificação no ranking dos motores de pesquisa.

Para diminuir o tempo de carregamento do teu website, otimiza imagens e outros ficheiros multimédia, minimiza código, usa um CDN (Content Delivery Network) e ativa a cache.

Podes utilizar igualmente ferramentas como o PageSpeed Insights ou o GTmetrix para avaliar a velocidade da página e encontrar outras recomendações úteis.


3. Apostar above the fold

Mais uma dica muito útil de otimização para um website é colocar a informação mais importante no topo da página e mover a menos importante para o final, ou seja, apresentar a nossa proposta de valor, formulários, conteúdos e CTAs mais relevantes above the fold (antes da quebra da página).

#EfeitoAdclick: numa das nossas páginas realizámos um teste AB com o formulário no fundo da página (A) versus above the fold (B). A versão B teve o triplo da taxa de conversão em relação à versão A (15,28% contra 4,92%).

4. Usar propostas de valor e CTAs claros e convincentes

Sê claro e específico na proposta de valor da tua página. Não adianta ter o melhor produto ou serviço do mercado, se o utilizador não conseguir identificar o que estamos a apresentar e que ação deverá realizar.

Garante também que essa proposta é imediatamente percetível. Demasiadas escolhas podem criar dúvida no utilizador e levá-lo a tomar decisões menos efetivas e satisfatórias como, por exemplo, sair do website sem realizar a ação pretendida, aquilo que Barry Shcwartz designou por Paradoxo da Escolha.

De igual modo, os CTAs são uma ferramenta poderosa para gerar leads e impulsionar vendas.

Um call-to-action deve ser claro, persuasivo e fácil de encontrar (posicionamento estratégico e destaque visual), para que os utilizadores saibam exatamente o que fazer quando o vêem.

Como aumentar a taxa de conversão em 8 dicas

5. Ter Social Proof (Testemunhos)

O Social Proof é uma poderosa ferramenta para aumentar a conversão de uma página, uma vez que aumenta a relação de confiança e credibilidade da marca, influencia na tomada de decisão, cria sentimento de pertença e de urgência e diminui a incerteza face à ação desejada.

Considera incluir testemunhos de clientes satisfeitos, avaliações positivas, números relevantes do teu negócio, selos de certificação, parcerias reconhecidas ou casos de sucesso para aproveitar o Social Proof e aumentar a taxa de conversão.

É importante destacar esses elementos de forma estratégica no teu website, landing pages e conteúdos de marketing.

#EfeitoAdclick: numa das nossas páginas realizámos um teste AB onde colocámos o bloco de Social Proof numa posição de destaque (após formulário) e a taxa de conversão da página duplicou (de 2,78% para 5,88%).

6. Explorar o potencial da personalização

A máxima “one size fits all” está obsoleta no mundo do marketing digital. Em alternativa às comunicações em massa e demasiado genéricas, é cada vez mais crescente a importância da personalização de elementos relevantes na customer journey, desde ofertas e emails, a conteúdo e anúncios pagos.

Assim, um dos grandes fatores de otimização da taxa de conversão prende-se com a personalização. Esta impacta positivamente a satisfação do consumidor e começa já a fazer parte das suas expectativas quando navega na internet.

A personalização permite a websites de ecommerce, por exemplo, combinar as suas ofertas com as preferências do utilizador ou apresentar descontos exclusivos com base no histórico de compras.


7. Não menosprezar o mobile

Embora o tráfego para desktop ainda seja relevante, a tendência aponta para um aumento contínuo no uso de dispositivos móveis para aceder à internet. Nesse sentido, é fundamental otimizar o layout e desempenho do nosso website para mobile.

Assegura que a tua página é rápida, legível e navegável em dispositivos mobile, que os elementos mais importantes ficam no topo do ecrã e que os CTAs são facilmente visíveis e clicáveis para melhorar a experiência do utilizador, aumentar o tempo em página e alavancar a taxa de conversão.


8. Testar, testar e testar

Mas o importante é perceber que não há fórmulas mágicas, o que funciona em desktop pode não funcionar em mobile, o que funciona para uma marca pode não funcionar para outra, o que funcionou ontem pode não funcionar hoje.

É necessário testar continuamente para melhorar o nosso website e otimizá-lo para a conversão, algo que só é possível através da análise de métricas e heatmaps e com o recurso a ferramentas de A/B testing.

Só dessa forma será possível identificar áreas de melhoria e, assim, realizar alterações com base nos dados qualitativos e quantitativos recolhidos.

Não basta apenas recolher dados, é também importante saber interpretá-los e entender o que eles nos dizem sobre as necessidades dos utilizadores e os seus pain points, de forma a não perder nenhuma oportunidade de conversão.

É aqui que nos devemos questionar “Por que é que os utilizadores se comportam de determinada forma? O que podemos melhorar no nosso website para que realizem a ação que queremos?”

O ideal é criar um roadmap de testes a implementar, para que seja possível priorizar e avaliar com maior precisão o impacto das hipóteses a testar.

Engane-se quem pensa que testar diferentes variáveis em simultâneo trará melhores resultados, pelo contrário, ao testarmos vários elementos ao mesmo tempo, como iremos saber o que realmente influenciou a conversão?

O ciclo UX-CRO

CRO E UX: casamento perfeito

Em suma, CRO e UX são parte integrante do mesmo processo. São práticas que se complementam pelo facto de estarem enraizadas na mesma interação de análise e feedback e cuja combinação, quando utilizada de forma eficaz, permite melhorar resultados. Embora tenham objetivos distintos, elas estão intrinsecamente ligadas.

Uma boa UX contribui para uma melhor taxa de conversão (utilizadores são mais propensos a converter quando estão satisfeitos com a usabilidade do site) e a CRO muitas vezes envolve melhorias na experiência do utilizador (alterações que tornam a customer journey mais suave e intuitiva geralmente resultam num aumento nas conversões).

Um bom website é assim aquele que consegue criar com sucesso uma relação de harmonia entre a otimização para a conversão (CRO) e a melhoria da experiência do utilizador (UX) através do design.