7 pecados mortais marketing conteudo

Construir uma boa estratégia de marketing de conteúdo não é uma tarefa fácil e tem várias armadilhas. Assim, não sendo um verdadeiro especialista na matéria, é conveniente conhecer os erros mais comuns cometidos nesta área para estar preparado e conseguir evitá-los. 

Os erros não são irreversíveis, mas é importante que os consiga identificar. Se tiver dúvidas, é sempre uma boa altura para procurar a ajuda de um profissional, repensar a estratégia e voltar ao caminho certo.

As 7 falhas mais comuns no Marketing de Conteúdos

1. Não definir as personas

Antes de começar a produzir qualquer tipo de conteúdo, saiba bem a quem quer dirigir-se, a quem quer chegar.

A definição de personas é uma etapa muito importante do processo de planeamento estratégico, porque é ela que indica a direção a seguir. No fundo, tudo se resume à conquista das personas, com a abordagem certa, no tom certo, com o conteúdo certo, no lugar certo e no tempo oportuno.

No entanto, definir personas não é exatamente fácil. O grande ponto de dificuldade quase sempre reside na distinção entre a persona que queremos abordar e a persona que já temos do nosso lado. Estes perfis nem sempre se encontram.

Desta forma, se está em processo de planeamento ou revisão da estratégia de marketing de conteúdo, aposte numa boa definição das personas que quer alcançar, mesmo que isso lhe tome algum tempo. Aproveite para avaliar a diferença entre as personas que definiu e as que frequentam o seu site, e ficará com uma ideia da urgência com que deve executar os seus planos. Os resultados podem não ser imediatos, mas a eficácia, é muito superior.

personas marketing conteudo

2. Não ter um calendário editorial

Deixar-se ir “ao sabor da maré” é um erro comum nesta área, sobretudo porque a calendarização prévia exige tempo e dedicação. Estabelecer antecipadamente o que publicar e quando publicar dá muito trabalho, mas permite adaptar-se a algo muito importante, o contexto.

O contexto é um dos principais fatores de influência no sucesso de uma peça de conteúdo. É certo que nem sempre é possível controlar o que acontece e quando, mas também é verdade que há datas e efemérides fáceis de antecipar e não custa preparar conteúdo específico para encaixar nelas.

A boa notícia é que para facilitar a tarefa, há calendários editoriais já preparados na internet. Claro que, idealmente, qualquer calendário que encontre online terá de ser depois adaptado ao seu caso em particular, com datas específicas da sua indústria, da sua área de negócio e até da sua própria empresa. Ainda assim, já são um bom ponto de partida.

3. Não ter frequência de publicação

Este erro deriva, muitas vezes, do ponto anterior, na medida em que resulta da inexistência de um calendário editorial que guie a produção de conteúdos.

Ser irregular na publicação de conteúdos prejudica a estratégia de marketing porque impede a construção de uma imagem consistente. Mantenha presente que os consumidores, mesmo os digitais, são feitos de hábitos. Se os habituar a receber determinado tipo de conteúdo com certa frequência, deve manter-se fiel a ela, sob pena de perder a fidelidade de quem o segue.

Lembre-se que mais importantes do que os que chegam de novo, são os utilizadores que voltam regularmente e esses só voltam enquanto sentirem que é fundamentada a expectativa de, a cada visita, encontrarem algo novo.

Assim, procure manter-se consistente. Não precisa de publicar conteúdo novo todos os dias, mas é importante que defina uma periodicidade e não se afaste muito dela. Quanto mais estável for, mais consistente será o seu crescimento.

4. Ser pouco relevante nos conteúdos

Mais um ponto que, em muitos casos, está ligado ao anterior. A frequência de postagem pode ser um enorme desafio, sobretudo em negócios pequenos ou sem recursos.

Quando, perante este desafio, os responsáveis pela estratégia de marketing de conteúdo recusam perder frequência, é comum acontecer que caiam no erro de se desleixarem na qualidade do conteúdo, assumindo o princípio de que qualquer conteúdo é bom para publicar desde que cumpra a periodicidade habitual.

Este é, contudo, um princípio errado. Tão frustrante como visitar uma página e não encontrar conteúdo novo é fazê-lo e encontrar conteúdo irrelevante. O utilizador sente que perdeu tempo, que foi enganado. A imagem que resulta é negativa, e experiências negativas são sempre mais difíceis de recuperar do que experiências neutras.

Desta forma, quando criar o seu calendário editorial e definir a frequência com que quer publicar, aproveite e deixe previamente estabelecidos alguns temas e ideias de conteúdo. Este planeamento antecipado não só lhe permite pensar com maior clareza como ainda abre espaço a um planeamento integrado, em que as peças fazem sentido de forma individual, mas também têm um significado quando analisadas coletivamente. Ao fazer esta preparação, também evita ficar sem ideias e cair na falácia do conteúdo fácil.

5. Não seguir palavras-chave

De que forma controla o sucesso do seu conteúdo (e da sua estratégia de marketing de conteúdo) se não acompanhar a evolução das palavras-chave que usa?

Seguir os resultados das suas palavras-chave é essencial para perceber duas coisas: que temas deve abordar e que sucesso está a ter o conteúdo que compôs. Sem a avaliação regular do conteúdo que compõe, não sabe se está a ir no caminho certo ou se a sua estratégia precisa de ajustes, pelo que é como guiar de noite sem luz.

O acompanhamento regular de palavras-chave, tal como a definição da estratégia de SEO e das palavras-chave a considerar, exige conhecimento técnico. Por este motivo, o melhor é procurar a ajuda de quem já está na área e tem experiência, porque terá resultados mais sustentáveis.

keywords

6. Não ser audacioso

A internet muda todos os dias, a todas as horas. Não é preciso recuar muito no tempo para encontrar uma sociedade que valorizava conteúdos e plataformas diferentes. Um dos caminhos para o sucesso online é, por isso, acompanhar a internet e caminhar na mesma direção que ela, dentro do ADN da sua empresa.

Queremos, com isto, dizer-lhe que o que hoje é um grande sucesso, amanhã pode tornar-se obsoleto e por isso não pode ser tomado como garantia. Tempos e contextos diferentes vão fazer nascer e crescer novas formas e formatos de conteúdo, e vai precisar de seguir o mesmo ritmo se não quiser ficar para trás.

Uma grande falha entre as estratégias de Marketing de Conteúdo é, então, a falta de audácia. Não faça o que todos os outros fazem, crie uma imagem autêntica. 

Sempre que se deparar com algo novo, experimente. Na pior das hipóteses, o resultado não é o esperado e ficará a saber que não compensa dedicar-lhe mais recursos. Isso é um dos lados mais interessantes do marketing digital, os números falam por si.

7. Querer tudo agora

O marketing de conteúdo não é uma estratégia rápida. É um trabalho lento, de dedicação e paciência. As palavras-chave demoram a resultar, o motor de pesquisa não corre sempre atrás do seu chamamento e o facto de não ver resultados ao fim de poucos dias não é obrigatoriamente sinal de que está a seguir uma estratégia errada.

Não faça mudanças repentinas e constantes de direção, porque isso vai notar-se no seu conteúdo. Espere para ver, avalie com calma e siga os números com atenção (visualizações, tempo médio na página, taxa de rejeição…). Se tiver paciência, verá que, a longo prazo, e com a estratégia certa, os resultados vão aparecer.

Construir uma estratégia de Marketing de Conteúdo é uma tarefa árdua se quiser fazer mesmo tudo certo. O ideal é, por isso, procurar a ajuda de profissionais que já tenham estratégias testadas e experiência no ramo, porque é essa experiência que os afasta da repetição de erros básicos e lhes permite obter melhores resultados mais rapidamente.

Ricardo Carreira
Ricardo Carreira

Nasci em 83 na cidade do Porto. Sou apaixonado por viajar de mochila às costas, não deixo passar uma oportunidade de subir um vulcão, atravessar um rio ou escalar uma montanha. Tenho como lema de vida "If you're gonna exist, why not enjoy it?". Acredito piamente que o papel dos profissionais de marketing não é só vender produtos. O marketing tem o poder de mudar a vida das pessoas para melhor. Estou feliz por viver nestes tempos.